“Vem” ou “vêm”? Entenda o uso de acento circunflexo diferencial em verbos

“Vem” ou “vêm”? Entenda o uso de acento circunflexo diferencial em verbos

Vamos aproveitar esse texto para resolver duas dúvidas com a mesma explicação, referentes aos verbos VIR e TER. Por uma “fatalidade” da língua portuguesa, dois dos nossos verbos mais utilizados apresentam flexões idênticas na 3ª pessoa do singular e na 3ª pessoa do plural do presente do indicativo. E agora? Como os acadêmicos resolvem esse problema?
Segundo o professor Cláudio Moreno, autor do livro Guia Prático do Português Correto, a comissão que tratou dos acentos na nossa língua, reunida em 1943, precisou criar uma regra especialmente para esses dois verbos. Decidiram, então, assinalar o plural com um acento circunflexo, tornando as duas formas ao menos diferentes na grafia (já que sonoramente elas apresentam a mesma pronúncia).
– ele/ela vem | eles/elas vêm
– ele/ela tem | ele ele/elas têm
Então é fácil lembrar: singular é sem acento, plural é com acento.
Mas a explicação não acaba aqui!
Além disso, é preciso considerar que outros verbos derivam de vir e ter e, por isso, também precisam seguir a regra do acento circunflexo diferencial. Exemplos:
– Muitos cosméticos falsificados contêm ingredientes danosos à saúde
– As folhas usadas no medicamento provêm de países africanos.
Como se tratam de oxítonas terminadas em -em, tanto nos verbos derivados de vir, como nos derivados de ter, a terceira pessoa do singular do presente do indicativo recebe acento agudo e a terceira pessoa do plural do presente do indicativo recebe acento circunflexo. Exemplos:
advir: ele advém | eles advêm
convir: ele convém | eles convêm
intervir: ele intervém | eles intervêm
manter: ele mantém | eles mantêm
conter: ele contém | eles contêm
entreter: ele entretém | eles entretêm
Fonte: Guia do Estudante